rs_slogan
rs_boletim2
rs_compartilhe

Notícia

Faculdade é condenada por oferecer curso não reconhecido pelo Ministério da Educação

A 5º Câmara Civil do TJ confirmou condenação de instituição de ensino do sul do Estado ao pagamento de indenização em benefício de estudante por descumprir contrato de prestação de serviços ao oferecer curso de nível superior sem o devido registro legal junto ao Ministério da Educação. Tal fato só veio a público passado o primeiro semestre do curso de Farmácia, de modo que a aluna teve que romper o contrato e providenciar sua transferência para outra universidade, onde precisou frequentar novamente as matérias que já havia cursado na primeira instituição.

Em sua defesa, a faculdade disse que também foi surpreendida com a não homologação do curso pelo MEC, asseverou que devolveu as mensalidades quitadas pela acadêmica relativas ao primeiro semestre e sustentou que o fato não caracterizava dano moral mas sim mero aborrecimento. A câmara, contudo, manteve o entendimento de que a conduta da instituição de ensino foi ilegal, uma vez que ofereceu e ministrou curso antes mesmo de obter autorização para tal.

O pedido foi indeferido não apenas pelo Ministério da Educação, mas também pela Justiça Federal, ao julgar improcedente recurso da faculdade em busca da autorização. A desembargadora Cláudia Lambert de Faria foi a relatora da apelação. Ela confirmou o valor da indenização, arbitrada em R$ 8 mil. "Sem dúvida, é censurável a conduta da ré/apelante ao oferecer e ministrar curso de graduação não reconhecido pelo Ministério da Educação", afirmou. A decisão foi unânime (Apelação cível n. 0006909-52.2013.8.24.0004).

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina
Produtos Online


Esqueci minha senha

b_teste_gratis
pixel