rs_slogan
rs_boletim2
rs_compartilhe

Notícia

Jovem consegue na Justiça restabelecimento de benefício previdenciário

Há conflito normativo entre lei municipal e lei federal, prevalecendo então os direitos garantidos pela lei maior.

O Juízo da 1ª Vara de Fazenda Pública de Rio Branco restabeleceu pensão por morte a jovem, até que a mesma complete seus 21 anos de idade. A decisão foi publicada na edição nº 6.643 do Diário da Justiça Eletrônico (pág. 65).

Nos autos do processo, a parte autora explicou que o benefício previdenciário que recebia foi cessado quando completou 18 anos de idade e, por isso, pediu o reestabelecimento, conforme as orientações jurisprudenciais.

Por sua vez, o Instituto de Previdência de Rio Branco informou que não há ilegalidade a ser corrigida, pois a impetrante perdeu a qualidade de segurada, conforme prescreve o artigo 18 da Lei Municipal nº 1793/2009.

Ao analisar o mérito, o juiz de Direito Anastácio Menezes apontou a ocorrência de irregularidade. Então, assinalou que a legislação apontada pelo demandado está em descompasso com a artigo 16 da Lei Federal nº 8.213/91.

Desta forma, o magistrado esclareceu que o regime próprio de previdência social dos servidores públicos do município não pode conceder benefício distinto dos Regimes Gerais de Previdência Social. Assim, foi determinado o restabelecimento da cota de 100% da pensão por morte à impetrante.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Acre
Produtos Online


Esqueci minha senha

b_teste_gratis
pixel