rs_slogan
rs_boletim2
rs_compartilhe

Notícia

Justiça mantém prisão de autuados por morte de policial militar

O juiz substituto do Núcleo de Audiência de Custódia - NAC do TJDFT converteu em preventiva a prisão em flagrante de L.S., V.F.A.J. e V.L.C. Eles foram autuados pela prática em tese, de roubo seguido de morte, delito tipificado no artigo 157, § 3º, II do Código Penal.

Em audiência realizada ontem, 17/11, o magistrado destacou que, com base no auto de prisão em flagrante, é possível constatar a materialidade do delito e a existência de indícios de que os autuados sejam, em tese, os autores da conduta a eles atribuída. Somado a isso, de acordo com o julgador, o crime foi grave, o que justifica a prisão cautelar dos autuados.

"A conduta supostamente praticada pelos autuados no caso destes autos reveste-se de especial gravidade e sua segregação cautelar é necessária para o resguardo do meio social, já que, aparentemente, os autuados mataram uma pessoa durante um assalto. Além disso, é importante destacar que todos os três autuados possuem passagens anteriores por crimes graves, como roubo e tráfico. (...) Dessa forma, entendo que a prisão preventiva dos autuados, para o resguardo da ordem pública, é impositiva", explicou.

O inquérito foi encaminhado para a 2ª Vara Criminal de Ceilândia, onde tramitará o processo.

PJe: 0006650-87.2020.8.07.0003

Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios
pixel