02/08/2022

Acusado de matar mulher após levar tapa em show é condenado

De acordo com os autos, dias antes do homicídio, réu abordou a vítima de forma insistente durante evento e levou um tapa de sandália

O Tribunal do Júri da 7ª Vara Criminal de Maceió condenou o réu A.A.G., acusado de matar P.G.M., em 2009. O júri popular, realizado na quarta (27), no Fórum da Capital, foi conduzido pelo juiz Yulli Roter Maia, que fixou a pena em 14 anos e 3 meses de reclusão, em regime inicialmente fechado.

O crime ocorreu no dia 30 de outubro de 2009, no bairro do Village Campestre. De acordo com os autos, P. estava em sua residência, com sua irmã e dois amigos, quando saiu para ir ao mercadinho próximo de sua casa. Ao retornar, informou a sua irmã que iria a um beco. Momentos depois, a vítima chegou em casa agitada por ser perseguida pelo acusado, que atirava em sua direção.

Em seguida, A. invadiu a residência da vítima e concluiu sua execução, atirando em P. até a morte. A motivação do crime foi vingança, por uma desavença ocorrida entre a vítima e o réu durante um "Show da Mancha", dias antes do crime, onde o réu recebeu um tapa de sandália da vítima por abordá-la de forma insistente.

O juiz Yulli Roter apontou os elementos nos autos que indicam a premeditação do crime, deixando claro que o réu se preparou para a prática do homicídio após o desentendimento no show.

“O crime foi cometido com a utilização de arma de fogo, do que se extrai que o réu já a portava de modo a garantir todos os meios para a execução do delito. Ademais, embora tenha praticado o fato sozinho, o fez de maneira planejada, eliminando qualquer risco de falha na sua execução”, afirmou o magistrado.

Matéria referente ao processo nº 0036674-31.2009.8.02.0001

Fonte: TJAL

Ultimas Notícias de TJAL