Casal acusado da morte de taxista em Crissiumal é condenado a mais de 20 anos de prisão

A Juíza de Direito Tatiane Levandowski, da Vara Judicial de Crissiumal, decidiu pela condenação de Sheila Daiane Corrêa Ceconi e Martielo de Souza Martins por roubo de veículo e morte do taxista Cléber Roni Tormes, de 61 anos de idade. A pena aplicada a ela é de 21 anos e o réu foi condenado a 26 anos, 5 meses e 15 dias de reclusão. Os crimes cometidos são latrocínio e ocultação de cadáver.

Os réus também foram condenados ao pagamento de indenização por danos materiais do veículo, conforme valor da tabela FIPE, e pelos danos morais sofridos pelo filho da vítima, no valor de R$ 10 mil.

Foi mantida a prisão deles, visto que permaneceram presos durante o curso do processo.

Caso

O taxista desapareceu no dia 21/3/22, após ser chamado para uma corrida na localidade de Lajeado Caçador. O pedido do casal era para ir até a rodoviária. O desaparecimento foi registrado na polícia no dia seguinte.

De acordo com a denúncia, logo que chegou ao ponto de encontro e saiu do veículo, a vítima já foi atacada por disparos de arma de fogo. Eles transportaram o cadáver até a localidade de Mato dos Bones, no interior do Município de Campo Novo. O corpo ficou desaparecido por 25 dias. Já o veículo foi localizado em uma cidade de Mato Grosso do Sul.

Os réus já haviam sido denunciados pela morte do ex-companheiro de Sheila. No intervalo de um mês, duas mortes foram atribuídas ao casal, sendo que Sheila confessou fazer parte da facção criminosa “Bala na Cara”, conforme a sentença.

TJRS

Rolar para cima
×