Tribunal do Júri condena ex-atleta olímpico e perito criminal por feminicídio

O marido da vítima foi condenado a 37 anos e seis meses de prisão, perdeu a guarda da filha e o cargo público. Outros participantes do crime também foram condenados

A 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba condenou, nesta quinta-feira (13/04), o ex-atleta olímpico e perito criminal Antônio Henrique dos Santos a 37 anos e seis meses de prisão pelo assassinato da sua ex-mulher, Tatiana Lorenzetti, em dezembro de 2020. A sentença dos jurados, proferida pelo juiz Thiago Flôres Carvalho, condenou também André Luiz Correia a 30 anos, Thales Arantes da Silveira a 28 anos, e Moisés Gonçalves a 25 anos de prisão em regime fechado.

O processo foi tipificado pelo Ministério Público do Paraná pelo artigo 121, §2º, incisos I, IV, VI, §2º-A, inciso I, do Código Penal (feminicídio qualificado pela promessa de recompensa, recurso que dificultou a defesa da vítima, e praticado no âmbito doméstico e familiar), na forma do artigo 29, do Código Penal.

Tatiana Lorenzetti foi assassinada com um tiro na cabeça no portão da agência do banco onde trabalhava como gerente no Capão Raso, em Curitiba, por Jonathan Alves da Silva, que morreu logo após o crime em confronto com a polícia. Durante o julgamento, revelou-se que o marido da gerente do banco contratou, por 25 mil reais, os três outros condenados e o atirador em uma reunião na véspera do crime com a intenção de simular um assalto.

Em seu depoimento, Antônio Henrique dos Santos disse que “sentia muita raiva” da ex-mulher. Ele foi atleta da Seleção Brasileira de Luta Olímpica, era perito criminal em Londrina (PR) e tinha uma filha com Tatiana. Na condenação, o juiz Thiago Flôres Carvalho decretou “a perda do cargo público, bem como também a declarada incapacidade para o exercício do poder familiar em relação à filha, hoje ainda menor, que tinha em comum com a vítima Tatiana Lorenzetti”.

Processo n° 00005012-70.2020.8.16.0196

TJPR

Rolar para cima
×